segunda-feira, 9 de maio de 2011

P.O. Box - Do sonho à realidade

A banda P.O. BOX foi formada em Goiânia no início de 1.997 por Carlinhos Santos (voz e violão), Jairo Reis (guitarra, violão e vocais) e Ocione Reis (contrabaixo e vocais). O nome foi uma sugestão de Carlinhos e significa Post Oficce Box, ou Caixa Postal, em inglês.
Após atuarem por vários anos em bandas de baile, bares, boates, estúdios e de acompanharem diversos artistas, os três resolveram se juntar e formar sua própria banda, já que eram amigos de longas datas e nem sempre tinham a oportunidade de trabalhar juntos. Carlinhos sugeriu a inclusão de Nelson Araújo (guitarra, violão e vocais), e Neil Araújo (bateria, programações e vocais) para fazerem parte da banda, o que foi prontamente aceito pelos dois outros colegas.
No final daquele ano, gravaram o primeiro CD, denominado Até o sol raiar, produzido por Carlinhos Santos e Guilherme Bicalho. O disco trazia canções que fundiam baião, reggae, funk, e até referencias da chamada axé music, sempre pontuadas por elementos de rock. Além de mesclar músicas dançantes com belas baladas e letras bem irreverentes.
Naquele disco foram gravadas, entre outras, CAMINHOS DO AMOR, ZECA MANSIDÃO, e BRILHO NO OLHAR, que se tornariam os primeiros grandes sucessos. Mas nenhuma que se comparasse a PAPO DE JACARÉ, sucesso desde a primeira ouvida e que se tornaria umas das canções mais executadas na história recente do pop brasileiro.
Foram quase 40 mil cópias e cerca de 200 shows no ano de 1.998 e até meados de 1.999 - um feito e tanto para uma banda independente e fora do eixo Rio-São Paulo. Isso fez com que, através de um empresário local, o disco chegasse até a gravadora EMI, juntamente com um vídeo amador mostrando alguns shows.
Em fevereiro de 1.999, a EMI os contratou. E vendo o forte apelo popular das músicas, resolveu gravar  “P.O. BOX - Ao Vivo”, com produção de Robertinho de Recife e arranjos de Carlinhos e Guilherme.
Assim, em abril daquele ano, gravaram um show realizado na cidade de Inhumas-GO. Junto com os principais sucessos do trabalho independente, foram somadas mais sete músicas inéditas, incluindo NÃO TÔ ENTENDENDO, sucesso que faria parte da trilha sonora da novela “Uga-uga!”.
CAMINHOS DO AMOR, AMOR 99, COM AMOR, SOZINHO seriam outros hits do disco. Mas PAPO DE JACARÉ “explodiu” no país inteiro, levando a banda a fazer inúmeros shows em todo Brasil e ainda EUA e Japão.
Em 2.001 foi lançado o disco A festa continua, que trouxe o sucesso  OS BICHINHOS e colocou a canção LÁ EM MAUÁ, na trilha da novela Estrela-Guia. Apesar dos dois grandes sucessos, o disco não repetiu o sucesso de vendas do CD anterior.
No início de 2.002, a P.O. BOX deixou a EMI e realizou um desejo que era fazer um disco acústico, já que realizara inúmeros shows nesse formato no sul do país. E em fevereiro do mesmo ano, convidou familiares, fãs e amigos ao Teatro Goiânia e gravou o P.O. BOX IV - Acústico ao vivo. O disco trouxe 12 canções inéditas, além de novos arranjos para os antigos sucessos. Lamentavelmente, por motivos contratuais, a EMI não permitiu a inclusão das regravações dos maiores sucessos do grupo. Isso inviabilizou o lançamento em mercado. E os componentes decidiram fazer apenas uma edição especial do trabalho, só com as canções inéditas. Depois, em dezembro de 2.002, realizaram outros dois shows, também no Teatro Goiânia com o objetivo de fazer o primeiro vídeo da banda. Gravaram o show, que depois foi transformado no primeiro DVD da banda. E puderam assim, completar esse tão sonhado projeto especial. Mas que - apesar do carinho pelo trabalho - motivado por inúmeras dificuldades, ele nem chegou a ser lançado.
Após mais de seis anos de carreira e cerca de 450 mil cópias vendidas de seus discos, os componentes resolveram “dar um tempo” e realizar projetos especiais.
Carlinhos Santos deixou pronto um disco solo, “Pra chamar sua atenção” e um lançou projeto especial de regravações de sucessos do pop rock nacional dos últimos 30 anos, denominado “QWERT - Rock’n Pop Acústico” (Musart Music), ao lado de Haroldo Menezes. E passou a dividir seu tempo entre o palco e estúdios, já que voltou a produzir outros artistas, além de realizar shows em formato acústico de MPB e pop-rock. Os irmãos Nelson e Neil Araújo também desenvolveram um projeto juntos, com banda e disco denominados “Trevo”. E os também irmãos Jairo e Ocione Reis, com a anuência do restante do grupo, chegaram a gravar um disco com um outro cantor e baterista, que nem chegou a ser lançado em circuito comercial.
Agora, após quase três anos de separação, e com Nelson e Neil seguindo com os seus projetos, Carlinhos novamente se junta a Jairo e Ocione para voltarem a seguir com a banda. E lançando novo trabalho “P.O. BOX - Ao vivo II”, em CD e DVD, com a íntegra do show e recheado de extras, etc.
E consideram este um presente para os fãs, que durante todo esse tempo se mantiveram fiéis aos artistas, mesmo estando afastados dos estúdios e da mídia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário